Ainda não há comentários

Câmara vai ouvir especialistas sobre aleitamento materno

A Comissão de Seguridade Social e Família, da Câmara dos Deputados, realizará, no dia 8 de agosto, uma audiência pública para discutir e comemorar a Semana Mundial do Aleitamento Materno. O debate foi proposto pelo deputado federal Diego Garcia (Podemos-PR), que convidou especialistas da área para contribuírem com a discussão. A audiência será às 14h30 no plenário 07.

A Semana Mundial do Aleitamento Materno 2018, comemorada nos dias 1º a 7 de agosto, trará o tema “Aleitamento materno: a base da vida”. Ela faz parte de uma história mundial focada na sobrevivência, proteção e desenvolvimento da criança desde 1992, quando foi criada pela Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação – WABA, e é comemorada por 120 países desde então. No Brasil, o Ministério da Saúde coordena a Semana desde 1999.

Para discutir o assunto, foram convidados a especialista em aconselhamento Familiar e idealizadora do Poder Amamentar – Paraná, professora Lylian Dalete Soares de Araújo; a enfermeira no HUE – Londrina e coautora da Rede Amamenta Brasil/MS, Andreza Delfino Sentone; João Aprigio Guerra de Almeida, doutor em Saúde da Mulher e da Criança e coordenador da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano; Fernanda Ramos Monteiro, coordenadora da Política Nacional de Aleitamento Materno na Coordenação-Geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde; a coordenadora de Aleitamento Materno e Banco de Leite Humano da Secretaria de Saúde do DF, Mirian Oliveira dos Santos; e a cantora e mãe Jake Trevisan.

Diego Garcia destaca a importância do debate para promoção da amamentação, bem como para discussão de novas políticas públicas que valorizem a família. “A Semana Mundial é considerada um importante veículo para promoção da amamentação. Portanto, é fundamental que discutamos o assunto com especialistas, buscando sempre novas ideias e políticas públicas que beneficiem a família. O leite humano é imprescindível para saúde e desenvolvimento da criança. O recém-nascido assim alimentado é protegido contra disenterias, infecções respiratórias, diabetes e alergias”.

Em 2017, foi sancionada a lei 13.436/17, de autoria do parlamentar, para garantir uma assistência às mães na amamentação, a partir da obrigação de unidades de saúde a acompanharem a amamentação, prestando orientações à mãe quanto à técnica adequada. Principalmente para os primeiros filhos, podem surgir dificuldades quando se amamenta na prática. São comuns relatos de problemas como dores ou mastites, que podem ser evitadas com orientações básicas. “É importante que as famílias saibam que a amamentação realizada de forma adequada, em uma boa posição, não provoca dores, a quantidade que sai de leite é adequada e o bebê engole sem dificuldades. Pequenos ajustes podem significar ganhos enormes em termos de saúde”, explica Garcia.

Brasil tem maior e mais complexa rede de banco de leite humano

A Rede Brasileira de Banco de Leite Humano é considerada a maior e mais complexa do mundo pela Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, existem cerca de 221 bancos de leite com 186 postos de coleta, presentes em todos os 26 estados federativos e no Distrito Federal, segundo o Ministério da Saúde.

Publicar um comentário