Ainda não há comentários

Bancada Católica e Evangélica pedem revisão da decisão do Brasil sobre recomendação do Vaticano na ONU

Parlamentares assinaram uma carta que será encaminhada ao Presidente da República

Deputados das bancadas católica e evangélica da Câmara dos Deputados assinaram, nesta quarta-feira (13), uma carta ao Presidente da República Michel Temer, pedindo a revisão da decisão do Brasil na ONU, que rejeitou a recomendação do Vaticano que pedia a proteção da família base da sociedade e do nascituro.

Em relatório apresentado na segunda-feira (11) sobre a Revisão Periódica Universal do Conselho de Direitos Humanos da ONU, o Brasil rejeitou quatro recomendações das 246 feitas por países membros da Organização. Dentre elas, estava a do Vaticano que previa “continuar a proteger a família natural e o casamento, formado por marido e mulher, como a célula básica da sociedade, e também os nascituros”.

Os parlamentares signatários afirmam que tal atitude “causou estranheza em razão da mudança de posicionamento do Governo Federal, adotado em 2012, quando aquele Estado apresentou a mesma recomendação, parcialmente contemplada”.

Diego Garcia, que foi o relator do Estatuto da Família (aprovado em 2015 na Comissão Especial), defende que a família base da sociedade deve receber especial proteção do Estado, conforme está assegurado no artigo 226 da Constituição Federal. “Devemos buscar, em todos os âmbitos, a devida proteção e valorização da entidade familiar, que hoje encontra-se tão frágil e frequentemente atacada por uma cultura antifamília. Esperamos reverter essa decisão e manter a previsão da Santa Sé”, destaca.

Publicar um comentário